sábado, 27 de fevereiro de 2016

Sempre...Liberdade

Tatuei a palavra Liberdade no meu Coração e na minha Alma. Sem tinta nem relevo mas imersa nos meus genes. Liberdade. De ser do Mundo, de ser de toda a gente e de ninguém ao mesmo tempo. De ser Eu. De dançar, dançar, dançar, parando o tempo, no vácuo que envolve um olhar. De atravessar as fronteiras que separam a formalidade de ser professora para chegar a um momento em que uma boa conversa nos torna (apenas) humanos. Porque gosto da Liberdade da interacção humana. De fugir para onde quero, sempre que quero. De escolher não fazer nada ou ficar a trabalhar mesmo quando o dia não é de trabalho. De abraçar quem amo com toda a força e energia, com todo o amor que vive em Mim, mesmo que haja olhares silenciosos e formatados. De não ter de explicar nada, justificar ou falar o que quer que seja. Liberdade que dou aos meus companheiros. De serem como são, quando quiserem, onde quiserem. Porque a Liberdade de ser Feliz e das minhas escolhas, sou eu que escrevo todos os dias. Sem amarras, contratos, vínculos. Sou free-lancer na Vida. Mesmo que isso implique ninguém esperar por mim no final do dia...sei que encontrarei sempre um Sorriso que se identifica com o meu. E que me conhece de dentro para fora. Sem ser apenas um número numa lista, sem altura ou peso, apenas Energia. Apenas Eu, de nome Liberdade. Carolina

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Há dias assim....

Os dias são exigentes, cobram nos atenção, brincam connosco ao acelerar os ponteiros, transformam tarefas em odisseias e no fim os dias ainda nos perguntam: alguma reclamação? Se sim..problema seu. Aprenda a lidar consigo mesmo. E por isso enquanto o dia ainda se espreguiça, deixa-me espalhar magia pelos meus amigos. ... é que daqui pouco as horas começam a fazer das suas.
Carolina 

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Caixotes

Hoje é dia de arrumar os caixotes das prioridades. Estava tudo um bocadinho à toa lá dentro mas comecei a tirar uma por uma e redescobri a mais importante.  A minha Paz interior. Essa Paz torna-me surda às vozes que se tentam sobrepor umas às outras, cega às ultrapassagens forçadas, insensível ao paladar da amargura, ao aroma da pequenez e ao toque áspero da frieza. Hoje só sinto o meu calorzinho bom...aquele que nasce cá dentro, só sinto o meu sorriso para todos os que que amo e o meu abraço aberto a quem o quiser procurar.... Carolina

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

E os dias passam...

E os dias passam....e lentamente voltamos a encontrar o nosso eixo. E o nosso movimento de rotação voltou a encontrar um equilíbrio. Um equilíbrio diferente porque depois do caos, o equilíbrio é retomado após algumas mudanças interiores. Algumas coisas ficaram diferentes. Mas algumas variáveis da minha equação da Vida não mudam. E uma delas é a Liberdade. De ser Mundo. De Ir & Vir. De ser Imperfeita. De ser Única. De ser abraço de tanta gente. De ser Guerreira. De ser Infinita. De ser Amor. De ser. Carolina

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Até ao Céu infinito

Este texto vai ser grande....mas há palavras que precisam de ser ditas enquanto o sangue corre quente no meu coração infinito em sonhos. Porque há dias assim tão extremos em emoções...em que se passa assim de uma alegria boa com misto de serenidade e gratidão para um misto de ego e show-off que só confunde os passos da caminhada mas aí o melhor está para vir, quando aceitamos que ainda temos umas arestas jeitosas para cuidar e recuperamos o compasso em três voltas completas de humildade e amor por quem dança connosco.
Mas o declive mais abrupto no trapézio da Vida é quando nos ligam para nos avisar que alguém tão especial para nós partiu. Partiu numa longa viagem em direcção à liberdade interior e à paz do corpo físico. E aí o mundo parece girar mais depressa, como se tivesse sido acelerado por um mecanismo explosivo que detona dentro de nós. E fica-se atordoado, balançando entre ter a certeza que mais uma estrelinha brilha agora no céu e uma saudade que começa a tomar conta de nós. Tenho muitas crenças, sinto bem cá dentro o que é a morte, entendendo-a como uma passagem, uma ascensão para outro plano. Mas naquele momento em que sabemos que há vozes e risos que não vamos ouvir mais, o tsunami que se forma torna-nos vulneráveis à tristeza e apetece vomitar as palavras num grito de incredulidade. E correr para quem conhecemos o sabor do abraço. E aí...os abraços surgem na hora certa, a milhares de quilómetros, de madrugada, com palavras que não precisam de ser descodificadas. Apenas sentidas. Surgem em forma de um olhar e de uma mensagem. Surgem na forma de uma dança que cura ou tenta curar, sem palavras. Surgem como são, abraços que curam.
E tudo isto leva a reforçar tudo aquilo em que acredito. Viver, viver, viver. Com brilho no olhar, fé e muito acreditar! Mesmo com um bocadinho de ego, mesmo com inseguranças, mesmo com carências, mesmo metendo os pés pelas mãos. Mas sendo Grandes. Grandes no Amor que damos. Sem gastar energia com coisas pequeninas, com ciúme, invejas ou mal-dizeres. Somos todos diferentes mas há espaço para todos no caminho. E para quê perder tempo? Se o tempo se gasta como areia fina nas mãos. Hoje sinto que a minha força e vontade de conquistar o meu mundo interior aumentou exponencialmente. Porque o acreditar pode ser infinito e o impossível é apenas a miopia da alma. E gratidão a quem teve paciência para ler isto tudo até ao fim :) Carolina

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Quero - parte II

Quero na minha Vida pessoas jovens em Sonhos, que não se deixam envelhecer à primeira derrota. Jovens na vontade de aprender, que queiram aprender comigo e eu com a sede de viver delas. Quero na minha Vida pessoas que me desafiem, que me acompanhem no ser melhor para mim mesma e para os outros. Quero na minha Vida pessoas simples. Que tanto gostem de um pôr-do-sol como de um pacote de bolachas dividido a meias. Quero na minha Vida pessoas que percebam que "Eu sou de todo o Mundo e todo o Mundo é meu também". Que tenho no coração um acampamento a céu aberto onde todos podem acampar mas poucos permanecem para sempre. Só os que gostam de ver as estrelas comigo, entoando canções, desafinados. Quero na minha Vida pessoas que digam em voz alto a palavra Amor, sem medo de parecerem ambiciosas ou só porque acham que a devem dizer em voz baixa. Não se gasta a palavra que nos enche a alma se for dita com o timbre do sorriso. Quero na minha Vida pessoas que sabem que tal como Eu, tem ainda muito para caminhar mas preparem a mochila como se o amanhã fosse ali logo ao virar da esquina, sem preocuparem com o Futuro mas com sim com as pegadas do Presente. Carolina ☆